Porque você precisa abraçar a economia compartilhada nos seus negócios

economia compartilhada começou a ganhar espaço no mercado por conta da crise econômica em 2008 e a preocupação dos consumidores com o meio ambiente. A tendência é que, cada vez mais, a população adote esse estilo de consumo, fazendo com que o setor apresente um grande crescimento nos próximos anos. Ou seja, abraçar esse movimento pode garantir que os seus negócios prosperem, especialmente se você optar por estratégias inovadoras. 

Na economia do compartilhamento, o público utiliza das vantagens da conexão proporcionada pela internet, para ter acesso ou oferecer produtos e serviços. A ideia é que as pessoas se ajudem mutuamente a encontrar o que elas precisam sem, obrigatoriamente, ter posse de determinado produto. Isto é, nesse tipo de economia, usufruir de algo durante um certo período é mais importante que adquirir aquele objeto. Por exemplo, você precisa de uma impressora, mas não terá muita demanda para ela, é para um projeto pontual. Em vez de adquirir, você pode ter acesso a uma para solucionar essa necessidade e, depois do prazo estipulado, devolvê-la.  

Com isso, a locação, seja de equipamentos, roupas ou imóveis, vem ganhando espaço e as tendências de mercado indicam que ela se fortalecerá. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo BCC Research, em 2019, a economia compartilhada encerrou o ano com valor de mercado de US$ 373 bilhões. A previsão é que ela apresente um crescimento anual de 31% e chegue em 2024 com valor de US$ 1,5 trilhão. Do total, cerca de 1 trilhão virá das plataformas financeiras p2p, como as de empréstimo.  

Se você quer saber mais sobre a economia compartilhada e como se beneficiar dela, continue neste artigo. Aqui, você verá: 

  1. Como funciona  a economia compartilhada  

  2. Vantagens da economia compartilhada 

  3. Como aderir à economia compartilhada

  1. Como funciona a economia compartilhada  

A ideia de compartilhamento é um modelo econômico relativamente novo, que tem base em atividades com compartilhamento, troca e aluguel. Ela passou a ganhar força a partir da crise de 2008, com a necessidade de poupar recursos naturais e financeiros. Os negócios colaborativos são sustentados por três pilares: economia, ambiente e sociedade. 

Esta estratégia visa a sustentabilidade por meio da otimização dos bens já produzidos. Isso acontece pela ampliação do acesso a esses produtos e serviços em vez da produção de novos. Dessa forma, gera uma redução de custo para quem usa, um ganho de renda para quem fornece e representa vantagens que são repartidas entre toda a sociedade.  

Basicamente, ela funciona por meio de aluguel e empréstimos em troca de uma mensalidade e/ou detalhes fechados em contrato. 

  1. Vantagens da economia compartilhada 

Essa nova forma de consumir pode trazer diversos benefícios tanto para os consumidores quanto para os seus negócios. Vale ressaltar que a internet é parte importante da existência da economia colaborativa, uma vez que permite diferentes tipos de transações e divulgação. 

Organizações dessa categoria, como empresas de locação de equipamentos, estimulam o senso de responsabilidade coletiva e pertencimento à sociedade. Com isso, promovem uma sensação de privilégio mútuo. 

Vantagens para a sua empresa: 

Melhor produtividade e qualidade: nesse formato de negócios, destaca-se quem oferece os melhores produtos e serviços. Como consequência, as organizações passam a focar mais na qualidade e não só na quantidade. 

Maiores oportunidades de networking: As relações entre empresas e colaboradores são diferentes nesse contexto e isso abre mais possibilidades. 

Sustentabilidade: sua empresa passa a ter uma proposta mais sustentável, o que, além de trazer benefícios para o meio ambiente, também se destaca entre os consumidores, o que pode representar um aumento de contratos que você assina. 

Maior engajamento: esse modelo de negócios gera um maior engajamento entre os participantes. Isso acontece porque há uma maior troca entre os colaboradores e os empresários, o que torna as relações mais intensas. 

Alinhamento com as tendências: acompanhar as tendências é essencial para estar à frente no mercado. Os modelos de negócios de economia colaborativa se destacam exatamente por ser uma forte tendência.  

3. Como aderir à economia compartilhada 

Explore seu nicho: conheça o Perfil de Cliente Ideal (ICP) do seu negócio e explore todos os desejos e dores dele.  

Faça parcerias de sucesso: pode parecer óbvio, mas parte importante da economia compartilhada é a colaboração. Isso também inclui o compartilhamento de habilidades e de parceiros que te ajudem a crescer de forma escalável. 

Simplifique a sua gestão de pagamentos e de cobrança: nesse modelo de negócios a recorrência dos clientes é importante. Para isso, você deve simplificar a forma de pagamento e oferecer uma boa experiência para o cliente.  

Ou seja, ao juntarmos esses fatores com a questão da internet ser parte essencial da economia colaborativa, fica claro a importância da sua locadora de equipamentos estar presente no mundo online. Entretanto, a montagem do seu e-commerce deve ser feita de uma forma estratégica e inovadora.  O ideal é investir em uma plataforma que ofereça automatização dos processos burocráticos, suporte e consultoria, integre seus sistemas, seja amigável e intuitiva para os usuários. Dessa forma, é importante disponibilizar um ambiente que transmita confiança e permita que os clientes naveguem de forma fácil, concluindo o aluguel dos equipamentos rapidamente.  

Com objetivo de suprir essas necessidades, transformar o setor de locação de equipamentos e trazer inovação, o Eloca fornece a criação, suporte e consultoria de uma plataforma para o seu e-commerce. São diversas opções de pacotes para assinar, cada um com diferentes tipos de serviços, solucionando e facilitando todas as suas demandas.   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?